0

Seu carrinho está vazio

Por que devo fazer parte de um grupo familiar?

Por que devo fazer parte de um grupo familiar?

Por que devo fazer parte de um grupo familiar?

Pr. Jeremias Pereira da Silva

A igreja não é o prédio. A igreja é um grupo de pessoas salvas pelo Senhor Jesus, chamadas pelo Espírito Santo para pertencer a uma nova aliança, a um novo povo. E esse povo tem uma missão específica – proclamar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. Pertencer à igreja é “deixar-me absorver pela vida da família de Deus como participante (e não como espectador), relacionando-me com os outros, trabalhando com os outros, e cuidando de pessoas que conheço e amo”. (Charles Swindoll).

Assim, quando falamos de grupos familiares, estamos nessa santa expectativa de que você não seja apenasespectador, pois o seu potencial, meu irmão, é para coisa muito maior. Esperamos que seja um ativo cooperador, com o Espírito Santo, daquilo que Deus está realizando nae através dasua igreja.

Quero lhe dar cinco alegres e motivadoras razões para você participar de um grupo familiar.

Pastoreio

Todos nós precisamos ser pastoreados.  O pastoreio inclui cuidado e alimentação. E abrange, também, conselho, ajuda em tempos de crise e orientações para vencer o pecado, o mundo e Satanás. Ser pastoreado é ser acompanhado e edificado; é ter cobertura espiritual. Pensemos no modelo de igreja em que apenas o pastor oficial pastoreia, à medida que a congregação vai crescendo em número. Nesse caso, quando uma ovelha se machuca, muitas vezes o pastor só toma conhecimento do fato alguns meses depois. Em um grupo familiar isso não acontece. A pessoa é imediatamente procurada, recebe visitas e ajuda para se levantar, é sarada e fortalecida. Por isso, irmão, aceite ser pastoreado por líderes que serão treinados pelos pastores da igreja.

Comunhão

Ter comunhão é buscar relacionamentos mais profundos; e isso não ocorre automaticamente. Uma grande reunião pode ser apenas um ótimo esconderijo. Entramos, não falamos com ninguém; saímos, ninguém fala conosco. É possível viver anos assim numa comunidade. Não teremos amigos e, sozinhos, a jornada é muito pesada. Arrisque-se. Aproxime-se. Envolva-se. Creia, você terá surpresas agradáveis. Em um grupo familiar somos vistos, conhecidos, amados, fortalecidos, sustentados, socorridos, curados e encorajados.

Ministério

Deus nos chamou para sermos seus ministros. O crente que não serve, não serve! Deus deu a cada um de nós pelo menos um dom espiritual, para servir ao Senhor e ao próximo. Encontramos na Bíblia mais de trinta mandamentos do que devemos fazer “uns aos outros”. No grupo familiar, você ministra e é ministrado, seus dons espirituais são despertados, e você descobre a alegria de ser usado por Deus. Se você continuar sendo apenas espectador, o corpo de Cristo vai ficar atrofiado e fraco. Portanto, integre-se! Com certeza, sua vida vai mudar, e para melhor! Lembre­-se: integração não é algo automático; exige esforço de cada um.

Treinamento

Um grupo familiar, uma célula, “é uma arma de guerra espiritual leve”. Ali cada membro é tini atuante soldado de Cristo. Ali você é treinado na oração e nos fundamentos da fé para ministrar louvor, intercessão, libertação e para discipular as pessoas. Você vai aprender fazendo. Deus não nos quer meninos a vida inteira; ele quer nos ver crescendo e frutificando. Em um grupo familiar, seu potencial para liderança será liberado. Creia nisso.

Evangelização

Os grupos familiares nascem para multiplicar. Aqueles que não se multiplicam, adoecem. Entretanto, para multiplicar, é preciso crescer através da evangelização. E evangelizar é saquear o inferno. Num ambiente familiar e de amizade, aqueles que têm uma certa resistência ao evangelho podem ser alcançados com calor e carinho. Serão ministrados, evangelizados e, finalmente, salvos pela graça de Cristo. Quando um grupo chegar a quinze ou vinte pessoas, e tiver pelo menos dois líderes maduros e bem treinados, deve ser multiplicado. Assim vamos conquistando espaço no terreno do inimigo, e estaremos fazendo o que o Senhor fez e faz: “... o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido” (Lc 19.10).

Você já pertence a algum grupo caseiro? A qual você vai pertencer? Você abrirá sua casa para um grupo? O Senhor está levantando um exército para impactar esta geração. Aliste-se!

O Rev. Jeremias Pereira da Silva é pastor titular da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.

Foto: Ben White